Belo poema de Borges sobre Spinoza

SPINOZA

Por Jorge Luis Borges

As translúcidas mãos desse judeu

Na penumbra cinzelam os cristais,

E a tarde que se esvai é medo e frio.

(As tardes sempre às tardes são iguais).

As mãos, bem como o espaço de Jacinto

Que empalidece nos confins do Gueto,

Quase inexiste para o homem quieto

Que está sonhando um claro labirinto.

Não o perturba a fama, esse reflexo

De sonhos no sonho de outro espelho,

Nem o amor temeroso das donzelas.

Liberto da metáfora e do mito,

Lavra um árduo cristal: o infinito

Mapa daquele que é suas estrelas.

Anúncios
Esse post foi publicado em Para Refletir e marcado , . Guardar link permanente.

3 respostas para Belo poema de Borges sobre Spinoza

  1. Pingback: Tweets that mention Belo poema de Borges sobre Spinoza | Boca do Mangue -- Topsy.com

  2. Jorge Vicente disse:

    Que poema maravilhoso este!

    Grande abraço
    Jorge Vicente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s