Poema de Érika Martinez

A CASA EM CIMA

(Poema de Érika Martinez. Tradução: blog Boca do Mangue)
Tantos séculos removendo essa terra
que tem pisado o gado
e alimentado o gado e os homens
que regaram essa terra
com o leito negro de seu sangue
─ o sangue muda de cor fora do corpo ─.
Tantos séculos alinhando tijolos,
aqui houve um estábulo
sobre o qual se construiu uma igreja
sobre o qual se construiu uma fábrica
sobre o qual se construiu um cemitério
sobre o qual se construiu um edifício
de proteção oficial.
Tantas mulheres lavando suas lajotas
parindo em suas lajotas,
escondendo a sujeira debaixo das lajotas
que pisaram seu filhos ébrios
e seus santos maridos
que trabalharam e fornicaram
pelo bem de um país no qual não creiam.
Tantos séculos para que eu,
membro de uma geração prescindível,
perca a fé na emancipação,
olhe o teto de meu dormitório
e se me venha a casa
em cima.
Anúncios
Esse post foi publicado em Para Refletir e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s